Corretor de imóveis, conheça mais sobre esta profissão

Corretor de imóveis, conheça mais sobre esta profissão

O corretor de imóveis é o profissional responsável pelas transações imobiliárias, como a compra, venda e locação de propriedades.

As habilidades básicas para se estar no ramo imobiliário envolvem o relacionamento com os clientes, falar bem e conseguir fazer uma boa rede de contatos.

De acordo com a Federação Nacional dos Corretores de Imóveis (Fenaci), o número de profissionais cresceu nos últimos 4 anos, totalizando aproximadamente 350 mil corretores em todo o Brasil.

O corretor de imóveis tem obrigação de defender os interesses do proprietário do imóvel não medindo esforços para obter a melhor condição comercial para o mesmo. O profissional deve levar todas as informações que estão ao seu alcance para o cliente.

A profissão foi regulamentada em 1962, mas somente em 1978, a Lei nº 6.530 passou a validar o ofício, permitindo o Técnico em Transações Imobiliárias exercer a atividade e a atuação dos Conselhos Federais e Regionais.


Atividades da profissão

Algumas das atividades que podem constar no dia-a-dia da profissão são: prospecção ativa de novos imóveis disponíveis, o conhecimento do imóvel disponível para intermediação inclusive criando uma descrição comercial e fotografando o mesmo, atendimento aos clientes interessados acompanhando-os nas visitas, instalação de placas promocionais, participação direta no desenvolvimento do planejamento de marketing para atração dos interessados, cadastro dos imóveis em portais, vistoria de entrada e saída em casos de locação, conseguir novos imóveis para anunciar.

Entender o básico das negociações e do mercado imobiliárias é necessário para começar a ser um corretor e a partir disso você pode aprofundar seus conhecimentos, por exemplo, na parte burocrática, aprendendo a lidar com a documentação exigida.

É um grande diferencial também saber analisar a localização, a arquitetura e os pontos fortes do imóvel.

O corretor pode ainda escolher atuar em um dos muitos nichos da profissão, como: venda de imóveis de terceiros, lançamentos, loteamentos, salas comerciais, locações, avaliações, administração ou financiamentos.

A especialização não impede você de trabalhar nas outras ramificações do mercado imobiliário, mas demonstra sua qualificação e conhecimento para os clientes.


Corretor ou Consultor de imóveis

Corretor e consultor de imóveis eram consideradas duas profissões diferentes, cada cargo tendo suas especificidades.

Entende-se o corretor de imóveis como o profissional que lida com a parte mais prática da oficio, sendo responsável pelo atendimento ao cliente e toda a negociação e transação.

Já o consultor imobiliário maneja a parte mais teórica, lidando com pesquisas e análises do mercado.

As habilidades do consultor estão ligadas a lógica e estratégia, pois seu dever é entender o meio economicamente e verificar as oportunidades de negociação, prospectando se é ou não o melhor momento para negociar um imóvel.

O consultor normalmente presta seus serviços aos donos de imobiliárias, corretores e construtoras. Podendo receber por período trabalhado ou por tarefa realizada.

Atualmente, entende-se que o corretor de imóveis que tenha as habilidades de um consultor, ou pelo menos o básico dos conhecimentos pedidos, está à frente da concorrência, sendo um profissional melhor e disputado pelo mercado.


Profissionalização

O corretor é um vendedor, não de qualquer produto, mas de um bem de alto custo, por isso sua abordagem não pode ser simples.

Os cursos que validam o exercício da atividade são: Técnico em Transações Imobiliárias, curso superior tecnólogo em Gestão Imobiliária e o bacharelado em Ciências Imobiliárias.

O estágio é obrigatório na maioria dos cursos e para fazê-lo é preciso pedir ao Conselho Regional de Corretores de Imóveis, órgão de âmbito estadual que regulariza e fiscaliza a profissão. A inscrição no CRECI é necessária para atuar legalmente no ramo imobiliário e estar amparado pela lei.

Somente após ter a carteira profissional de corretor a pessoa poderá exercer legalmente o trabalho e intermediar as negociações imobiliárias.


Características de um corretor

Além das questões legais, tem algumas características essências se você quer ingressar nesse ramo que possibilita altos ganhos:

• É fundamental ser comunicativo: A relação entre corretor e cliente deve ser construída durante o atendimento, para isso é preciso saber lidar com pessoas e conversar com os interessados. Um bom relacionamento interpessoal faz a diferença na venda.

• Buscar conhecimento: Estar preparado também é de suma importância. Informe-se o melhor possível, conheça os interesses, as preferencias e prepare-se para os questionamentos de seus clientes. Faça cursos para se manter atualizado sobre o mercado.

• Transmitir confiança: É indispensável ser ético e confiável. O mercado imobiliário é construído pela relação corretor-comprador e passar uma boa impressão para o cliente é a base de qualquer negociação.

• Comprometimento e pró-atividade: Organização é importante para todo cargo autônomo. É preciso ser responsável com os horários e com o atendimento dos possíveis compradores.

• Ser atencioso e simpático: todos querem ser bem atendidos. A compra ou venda da residência pode ser um momento difícil para seus clientes, tente entendê-los, tenha paciência sem nunca perder a motivação.


Mitos x Verdades

Esta carreira é cercada de mitos, mas é preciso saber diferenciar as oportunidades dos riscos.

1. É possível ter altos ganhos?

Como autônomo, o ganho é por produtividade. A possibilidade de ganhar muito dinheiro atrai um grande público, mas é importante saber que comprometimento e esforço é que geram resultados. Como em qualquer emprego, é necessário ter diferenciais, se especializar e profissionalizar no mercado.

2. Posso trabalhar com horário flexíveis?

Sim! Flexibilização do horário de trabalho é outro ponto forte do ofício, mas saiba que isso não significa trabalhar pouco. A grande vantagem aqui é poder montar a sua própria agenda, mas o trabalho é constante.

3. Posso trabalhar com qualquer idade?

Sim! O mercado imobiliário aceita pessoas de todas as idades, mas estar atualizado com as novas ferramentas do mercado é o que te manterá ativo na profissão.

4. É preciso estudar?

Com certeza! Mesmo que não seja obrigatório ter um curso de ensino superior para ser corretor, isso não significa que é fácil ser um profissional do ramo imobiliário. É necessário muito estudo e dedicação para se diferenciar da concorrência e se manter atualizado em um mercado com clientes cada vez mais exigentes.


Modelos de contratação

O profissional pode trabalhar como autônomo, na qual a pessoa trabalha por conta própria, sem ter vínculo empregatício com a empresa, ou CLT, seguindo as leis trabalhistas estabelecidas pela carteira de trabalho.

Entretanto, para os corretores, tem uma terceira opção de contratação: o corretor associado, no qual o colaborador atua como autônomo, mas pode se associar a mais de uma imobiliária.


Sobre o comissionamento

O comissionamento é comum nessa profissão e essa pratica é direito assegurado por lei. Os corretores de imóveis que trabalham como autônomos são comissionados pelas vendas e locações realizadas.

O pagamento do corretor em uma intermediação é uma parte do total estipulado em cada negócio e varia de acordo com os rateios combinados com a imobiliária associada. A porcentagem da comissão pode variar também de acordo com o estado, a cidade ou a região.

Para ter uma média de valores, vale a pena conferir a tabela de referência de honorários da sua localidade com o Conselho Regional. É importante ressaltar que esta tabela não rege o comissionamento, ela é usada somente para referência dos valores.

A tabela do CRECI de São Paulo apresenta o comissionamento que varia de 6 a 10%, dependendo do tipo de imóvel comercializado. Por exemplo, na venda de imóveis urbanos e industriais a taxa fica entre 6 e 8%, para imóveis rurais 8 a 10% e em caso de venda judicial 5% para o corretor.

É importante ressaltar que em casos de venda, existem outras especificidades, como as permutas, as transferências de financiamentos e as negociações com mais de um imóvel ou mais de um corretor.

Em caso de locação, o valor fica por conta do locador e equivale ao preço de um aluguel, variado somente em locações de temporada com prazo de 90 dias, no qual a comissão é de 30% em cima do valor total recebido.

Lembrando que, em uma transação imobiliária, a comissão é resultado de uma ação cooperada entre partes e por esse motivo o total é fracionado. O combinado entre as partes envolvidas está diretamente ligado ao envolvimento e fornecimento da estrutura de trabalho que foram empenhados para o sucesso da negociação.

Receba Novidades

Cadastre-se e receba as novidades do mercado imobiliário em seu email.